Colunas
Breno Tavares Nunes
 
Colunas anteriores
20/11/2006
6/11/2006
França, a zebra-mãe.
Hoje niguém mais se espanta ao saber que um clube qualquer ganhou um campeonato importante aqui no Brasil ou em em outro país onde o futebol é praticado profissionalmente.Coincidência ou não, desde que a França(pedra no sapato de nós brasileiros)conquistou aquela fatídica copa de 1998, ainda que da forma como tudo se deu, o fato é que sucessivos feitos indênticos vêm acontecendo, tendo o caso francês como emblemar maior desta nova era que tem marcado o "planeta bola": a Era dos Azarões.Ironicamente em face ao péssimo tratamento dado ao futebol por parte daqueles incubidos de organizar o esporte, quizera os "deuses da bola" que assim como no mundo da moda, a França lançasse tendências. Que pena! Pena porque brasileiros, principamente, não entendem de moda e por isso, não devem está gostando do que andam vendo nos gramados país à fora. Os saopaulinos sabem bem o que eu digo, afinal eles viram o Internacional de Porto Alegre-RS ser protagonista do maior caso de "zebrísmo" já ocorrido em terras canarinhas, diante de seu clube de coração este ano.
Não sei se trata de uma "maldição" mesmo ou se o exemplo francês "apenas" serviu de inspiração aos clube inexpressivos, mas o que se vê é que a cada dia aumentam as "façanhas" alcançadas por tais clubes.
É triste vê que a Era dos Azarões ganha mais e mais terreno. Perde o futebol com isso! Perdemos nós torcedores, principalmente os saudosistas que diante deste estado, vêem traços antes marcantes do Futebol-Arte desaparecerem. Vejam só: Onde anda a tradição dos clubes? Tradição? O contexto atual do esporte tem nos mostrado que essa palavra já não existe. E o amor a camisa ? Quem vai honrar uma camisa, se pela falta da tradição, elas já não intimidam, nem causam medo aos adversários!? É por tudo isso que os "pequenos" hoje fazem festa.

Éh amigos, é tempo de futebol sem alma. Um futebol que perdeu sua magia; Magia que foi cultiva e arraigada nos momentos aureos do esporte; Momentos esses que forjaram e lapidaram os "esquadrões" que compões(ou pelo menos compunham...)a elite da bola; Elite que consolidou o nome e respeito de cada clube que à integra, mas que agora vê todo esse patrimônio morrer por causa da banalização do futebol;Clubes que criaram e por muito mantiveram a hegemonia do esporte bretão; Hegemonia que lhes deram a tradição de que detinham; Tradição que a Era dos Azarões fez o favor de sepultar nos últimos anos. Logo a tradição, um dos mais sublimes e charmosos sentimentos que davam sentidos ao futebol.
Entre uma era e outra, fica a triste certeza de que o Futebol-Arte já ERA...
e vive la france!!!

 

 
  >> Voltar <<