Colunas
Fabio Azevedo
 
Colunas anteriores
4/12/2005
15/11/2005
17/10/2005
30/9/2005
28/9/2005
31/8/2005
3/6/2005
11/5/2005
18/4/2005
13/3/2005
Romário, um quarentão genial.


Um quarentão genial

Romário completou 40 anos, no último dia 29, com motivos de sobra para comemorar. São títulos e conquistas que marcam uma vitoriosa carreira, que foi marcada por frases, brigas, alegrias e gols, muitos gols, que fizeram os torcedores esquecerem o dia-a-dia.

Perto dos mil gols, Romário não quer marcar uma data para a despedida oficial dos gramados. Talvez porque não consiga ficar longe da bola, inseparável companheira, ou dos holofotes, que iluminam este pequeno notável.

Dono de um temperamento diferente dos demais, Romário começou se destacando logo no início da carreira. Em 1985, surgia um jogador marrento com um jeito moleque de atuar. As dificuldades da vida ensinaram o atacante a driblar os adversários.
Mesmo estando entre os medalhões do Vasco, como Roberto Dinamite, o Baixinho não se intimidava. Conquistou espaço, a camisa 11 e, em 86, foi o artilheiro do Campeonato Estadual. No ano seguinte, o primeiro título: o Estadual. Daí em diante, foram vários prêmios.

Romário proporcionou muitas alegrias aos amantes do futebol. Quem não lembra do gol em cima do Flamengo, quando o jogador aplicou um lençol no goleiro Zé Carlos, em 88? Aquele contra o Uruguai, no Maracanã, em que dribla o goleiro? O Brasil carimbava o passaporte para os EUA.

Ou então, o gol na Holanda, na Copa de 94, após cruzamento de Bebeto? E o gol pelo Barcelona, que Romário recebe na intermediária, domina no peito e, sem deixar a bola cair, encobre o goleiro adversário? E o elástico em Amaral, no Pacaembu?
Amado por muitos, odiado por poucos, assim é o atacante Romário que conseguiu ser ídolo por onde passou. Imortalizou seus pés na calçada da fama do templo do futebol, o Maior do Mundo, o Maracanã.

A arrancada do início da carreira foi trocada por dribles curtos, pelo toque refinado, pois é difícil ver Romário errar um passe. São 40 anos de vida, 21 de profissão, e uma certeza: o Baixinho é o gênio da grande área dos últimos 30 anos.
Parabéns, Romário! O futebol agradece.


Clubes: Vasco, PSV Eindhoven, Barcelona, Flamengo, Valencia, Fluminense e Al Saad (Qatar)


Artilharia
1986 - Vasco - Campeonato Carioca com 20 gols
1987 - Vasco - Campeonato Carioca com 16 gols
1988 - Brasil - Torneio Olímpico de Futebol com 7 gols
1989 - PSV Eindhoven - Campeonato Holandês com 19 gols
1990 - PSV Eindhoven - Campeonato Holandês com 23 gols
1991 - PSV Eindhoven - Campeonato Holandês com 25 gols
1994 - Barcelona - Campeonato Espanhol com 30 gols
1996 - Flamengo - Campeonato Carioca com 26 gols
1997 - Flamengo - Campeonato Carioca com 18 gols
1997 - Brasil - Copa das Confederações com 7 gols
1998 - Flamengo - Campeonato Carioca com 10 gols
1999 - Flamengo - Campeonato Carioca com 16 gols
1999 - Flamengo - Copa Mercosul com 8 gols
2000 - Vasco - Campeonato Carioca com 19 gols
2000 - Vasco - Copa Mercosul com 11 gols
2000 - Vasco - Campeonato Brasileiro (Copa João Havelange) com 20 gols
2001 - Vasco - Campeonato Brasileiro com 21 gols
2005 - Vasco - Campeonato Brasileiro com 22 Gols


Títulos
Campeonato Carioca - 1987 - Vasco
Campeonato Carioca - 1988 - Vasco
Medalha de Prata nas Olimpíadas de Seul - 1988 - Brasil
Copa dos Países Baixos - 1989 - PSV Eindhoven
Campeonato Holandês - 1989 - PSV Eindhoven
Copa América (Campeonato continental de seleções) - 1989 - Brasil
Copa dos Países Baixos - 1990 - PSV Eindhoven
Campeonato Holandês - 1991 - PSV Eindhoven
Campeonato Holandês - 1992 - PSV Eindhoven
Supercopa dos Países Baixos - 1992 - PSV Eindhoven
Campeonato Espanhol - 1994 - Barcelona
Copa do Mundo - 1994 - Brasil
Campeonato Carioca - 1996 - Flamengo
Copa América (Campeonato continetal de Seleções) - 1997 - Brasil
Copa das Confederações - 1997 - Brasil
Campeonato Carioca - 1999 - Flamengo
Copa Mercosul - 1999 - Flamengo
Copa Mercosul - 2000 - Vasco
Campeonato Brasileiro (Copa João Havelange) - 2000 - Vasco


Prêmios
Segundo Melhor Jogador do Mundo em 1993 - Fifa
Melhor Jogador do Mundo em 1994 - Fifa
Melhor Jogador das Américas em 2000 - 15º Edição do prêmio em 2000 - Jornal El País/Uruguai
Bola de Ouro em 2000 (Melhor jogador do Campeonato Brasileiro de 2000) - Revista Placar/Brasil
Bolas de Prata em 2000 (Melhor atacante e maior artilheiro) - Revista Placar
Bola de Prata em 2001 (Maior artilheiro) - Revista Placar
Chuteira de Ouro em 2000, 2002 - Revista Placar
Chuteira de Ouro pela artilharia do Brasileirão - Troféu Rei do Gol (Prêmio Craque Brasileirão 2005) - CBF (Confederação Brasileria de Futebol)
Bola de Prata em 2005 (Maior artilheiro) - Revista Placar


Fonte: Lancenet!

 

 
  >> Voltar <<