Colunas
Tonico Bittencourt
 
Colunas anteriores
2/8/2004
Razão e Coração

Fome de Gols

Passamos da metade do Campeonato Brasileiro e o que vemos ? O Santos, do Wanderley Luxemburgo, a incrível vontade de fazer o máximo de gols possíveis. Mesmo com atacantes que não se acostumaram a frequentar a ponta da artilharia dos campeonatos que já disputaram. Essa é uma marca do Wanderley, como o time do Palmeiras que conquistou o Campeonato Paulista de 1996, marcando mais de 100 gols 30 jogos. Os times do Wanderley realmente enchem os olhos de quem gosta de futebol, procurando sempre o objetivo do futebol - GOL, não somente um detalhe.
Se ele conseguir dominar o seu ego, tem tudo para ser lembrado eternamente como um dos grandes técnicos que o Brasil já teve. Atualmente está num patamar acima dos outros. Dando a ele uma boa estrutura e dinheiro para investir fica dificílimo tirar-lhe a faixa de campeão.

Dança dos técnicos

Final de semana terrível para o futebol carioca. Três treinadores dispensados e os maiores responsáveis por esta situação dos clubes continuam mandando. O PC Gusmão nem esquentou no Flamengo, e quando começou a dar resultados, pediu demissão por intervenção da parte amadora da diretoria do Flamengo. Por que eles não passam a dirigir o time, já que pensam que podem dar sugestões ao técnico ? Pergunte para a torcida se eles aceitam....
O Ricardo Gomes tentou de todas as formas avisar que as regalias do Romário estavam erradas, ele precisava treinar, aparecer no clube. Como não lhe deram ouvidos, ele que paga o pato. Não é possível disputar uma partida de futebol profissional com Edmundo e Romário no ataque.
Já o Mauro Galvão conseguiu armar o time do Botafogo, mas não conseguia resultados. Mesmo com um elenco limitado pelas contusões, o time se apresentava bem, mas com uma falta de sorte, não conseguia os resultados. Como exemplo a partida contra a Ponte Preta.

Fim melancólico

Não consigo definir de outra forma o final do Romário. Sempre fui um dos maiores denfensores dele, perguntava aos que não se rendiam ao seu talento - "Se o Romário estiver com a bola dominada dentro da área contra o seu time de coração, você se não se abala ? Não fica com medo ?". A resposta sempre era positiva. Hoje eu não sinto mais este calafrio. Ele parece que está de férias, não treina, não vai ao clube, não interage com os companheiros, e joga quando bem quer. Uma pena para que já o viu destruindo defesas e goleiros. Romário você não precisa disso.

 

 
  >> Voltar <<